Vaga na disputa prometida ao ex-governador Confúcio Moura não está garantida

Para agosto –

O MDB marcou para o inicio de agosto a sua convenção que tem como candidato ao governo Maurão de Carvalho e ao Senado, a reeleição Valdir Raupp. A outra vaga na disputa prometida ao ex-governador Confúcio Moura não esta garantida, só será se o ex-governador se ajoelhar e rezar a cartilha dos figurões do partido, apoiando Maurão e Raupp na marra.

 

Bloco na rua

Por seu turno, a aliança PDT/PSB já esta colocando seu bloco na rua, confirmando o senador Acir Gurgacz ao governo e o ex-prefeito Jesualdo Pires ao Senado com a lealdade socialista ao parceiro de antigas pelejas. A escolha da segunda vaga ao Senado ainda não esta definida, mas sabe-se que a aliança pode respaldar nomes ao segundo voto como Confúcio Moura (MDB), Carlos Magno (PP), Fátima Cleide (PT).

Dúvidas dissipadas

Com as reuniões e os encontros regionais realizados no interior do final de semana, todas as dúvidas sobre o pré-candidato Acir foram dissipadas. O senador Acir Gurgacz será candidato ao governo, já esta com o pé na estrada e recebendo importantes apoios regionais. Como o do ex-presidente da Assembléia Legislativa Neodi Carlos (PSDC), no Vale do Jamari.

A pulverização

Ao meu ver com tantas postulações ao Senado teremos grande pulverização de votos no estado. Isto tanto pode beneficiar Valdir Raupp, no seu projeto de reeleição, como candidaturas fortes regionalmente como as de Aluizio Vidal em PVH e Jesualdo Pires em Jipa. Entendo que neste quadro, Marcos Rogério fica prejudicado pelo canibalismo na região central. Mas quem esta bem na foto é Confúcio.

Segmentadas

Também não se pode descartar candidaturas segmentadas, como a de Fátima Cleide do PT, um partido que tem Lula no respaldo e uma boa fatia de votantes no estado e do ex-deputado federal Carlos Magno que desembarca no pleito com o forte apoio do ex-governador Ivo Cassol e faz dobradinha com Jesualdo no segundo voto na região central, Zona da Mata e região do café.

Via Direta

*** Aprofundar os poços caseiros na periferia de Porto Velho por causa da falta de água já esta custando R$ 250,00 o metro cavado no braço *** Quem não pode se socorre as bicas dos colégios e de almas generosas nos bairros sem água da Caerd *** Para os revoltados por causa da buraqueira na cidade, o ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho tinha uma baita desculpa *** Segundo ele, existiam buracos, municipais, estaduais e federais *** E ele só aceitava culpa pelos “municipais”*** Nada mais justo.

 

___________________________________________________________________________

Pressões vão aumentar

Pressões vão aumentar Ação bem coordenada da bancada regional no Senado conseguiu derrubar, via projeto, o insustentável decreto..

Pressões vão aumentar

Ação bem coordenada da bancada regional no Senado conseguiu derrubar, via projeto, o insustentável decreto presidencial que reduziu de 20% para 4% os incentivos do IPI dos concentrados.

Foi uma vitória, embora o líder do governo, senador Romero Jucá (MDB-RR), ameace com a possibilidade de veto se o projeto for aprovado pela Câmara dos Deputados. A verdade é que as pressões restritivas sobre a Amazônia tendem a continuar, sobretudo porque os candidatos à Presidência revelam como traço comum o ardil de apenas tangenciar os assuntos, sem assumir compromissos que possam ser cobrados depois.

Há candidatos que, a exemplo de FHC em sua primeira campanha, pedem para esquecer o que disseram no passado, temendo perder votos.

O estudo do “Brasil 2035 – Cenários para o Desenvolvimento”, apresentado pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) no início do mês, avisa que a pressão sobre o uso dos recursos hídricos e riquezas naturais terá impactos diretos nas políticas públicas na região.

A melhor forma de evitar pressões é construir um modelo capaz de reunir planejamento, concatenação e plausibilidade, no cenário que o mesmo estudo denomina “Construção”.

 

Fonte: www.jornaldiariodaamazonia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *