Restaurante Popular de Porto Velho fecha para reforma

Os moradores de Porto Velho que almoçam no Restaurante Popular Prato Cheio, localizado na Zona Leste da capital, amanheceram com um transtorno nesta segunda-feira (29). O local que atende a comunidade desde 2015 foi fechado para reforma, mas segundo os usuários, ninguém foi avisado.

Servindo mensalmente cerca de 33 mil refeições ao valor de R$ 1, o restaurante tem se tornado uma das principais alternativas para as mais de 1.500 pessoas que vão ao local diariamente. De acordo com a Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), que responde pelo local, a reforma tem previsão para ser concluída dia 27 de dezembro.

Dentre as melhorias que seriam feitas no espaço, estão a construção de uma estação de tratamento de esgoto, um banheiro na cozinha experimental, troca da parte elétrica, além de mobília e equipamentos usados na produção das refeições.

Reclamações

Usuários na frente do restaurante — Foto: Cássia Firmino/ G1Usuários na frente do restaurante — Foto: Cássia Firmino/ G1

Usuários na frente do restaurante — Foto: Cássia Firmino/ G1

Benedita Brita de Araújo, de 80 anos, frequenta o local todos os dias. A aposentada explica que por problemas de saúde, acaba gastando boa parte do dinheiro com medicamentos, por isso o restaurante popular é importante para não prejudicar seu orçamento.

“Eu tenho muitos problemas de saúde, o salário não é nada porque gasto muito com os remédios, eu vou sentir muita falta disso aqui [restaurante]. As vezes têm carne cozida, feijoada, galinha assada, tem vez que tem até lasanha”, diz a aposentada.

Na frente do restaurante, na manhã desta segunda-feira (29), os usuários paravam para garantir o ticket do almoço e informaram ao G1 que não foram avisados com antecedência sobre a reforma. Eles relataram que a comida servida no restaurante é uma das principais, ou a única, refeição do dia.

“Eu venho de moto, lá do Renascer, porque não aguento andar. As pessoas que comem aqui, comem porque precisam, tem aquele dinheirinho e vem. A gente veio saber disso hoje e pegou muita gente de surpresa”, comenta Enoque Ferreira, de 68 anos.

Moradores da região também destacam que a chegada do restaurante ajuda até quem não come no estabelecimento, já que os comerciantes locais, em busca de melhor concorrência, teriam baixado o valor da mercadoria.

“Hoje nós vamos ficar com fome, porque o mínimo que vamos pagar em uma marmita por aqui é uns R$ 10”, afirma o autônomo Francisco dos Santos, de 57 anos.

Reforma

Em nota, a Seas confirmou o adiantamento da reforma. O valor investido na obra está sujeito a alterações, mas no orçamento inicial foram destinados R$ 12.092.81 para a reforma no teto do local, R$ 5.963.16 para o piso, R$ 11.077,55 na rede elétrica, e R$ 74.250,00 para a construção da estação de tratamento.

A Seas também informou que a licitação e contratação dos fornecedores já estão em andamento. A impossibilidade de um fechamento parcial, também foi destacado devido a questões sanitárias, contratuais e jurídicas, o que resultou com que a pasta interrompesse as atividades no local temporariamente. Segundo a secretaria, a reabertura está previamente agendada para o dia 27 de dezembro.

*Estagiária Cássia Firmino sob supervisão de Ana Kézia Gomes

Fonte: G1 RO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *