Os protestos se espalham em Rondônia com aumento de energia

Maus e preguiçosos Os brasileiros já foram considerados maus. Quando a Amazônia ainda não recebia turistas, apesar de já haver muita..

Maus e preguiçosos

Os brasileiros já foram considerados maus. Quando a Amazônia ainda não recebia turistas, apesar de já haver muita pirataria e as potências mundiais da época enviarem cientistas para cá, a opinião pública mundial foi orientada a imaginar os brasileiros como gente desprezível.

É o que se sabe ao ler o livro Martius, de Pablo Diener e Maria de Fátima Costa: o botânico botânico Carl Martius sofreu muito na longa viagem de estudos que fez no período de 1817 a 1820 e seus registros, embora preciosos para o conhecimento do Brasil Império, não foram muito simpáticos. Para ele, seus guias eram incultos e preguiçosos – avaliação que se deveu a eventos como a sede e a fome que a expedição enfrentou, tendo à disposição apenas a água extraída de plantas.

Se o turismo brasileiro dependesse desse relato, o mundo teria uma péssima impressão deste “país tão rude”. Ir ao Brasil, anotou, “não é  uma viagem de prazer”. Felizmente seu companheiro de viagem, o zoólogo Johann Baptist Spix, amava o Brasil e passou mensagens mais positivas.

Hoje, em pleno século XXI, voltam a falar mal do Brasil lá fora, sobretudo na Europa, onde somos tidos como destruidores da natureza. “Maus”, portanto. Desfazer essa imagem é tarefa urgente para quem, a exemplo de Spix, ama esta terra.

………………………………..

As alianças 2018

Entre as alianças políticas fracassadas em 2018, sem dúvida a de Maurão de Carvalho, que entrou no MDB para disputar o governo de Rondônia foi umas das piores. Egresso do PP (antigas Arena e PDS) partido que tinha antagonismos e rivalidades tribais com o PMDB, as bases não se entenderam. Além disto, os Raupps desgastados, funcionaram como uma âncora puxando para baixo o projeto de Maurão.

Custo Rondônia

Com o brutal reajuste nas contas de energia entre 25 a 27 por cento em Rondônia autorizado pela ANEEEL, os protestos se espalharam pelo estado com o “custo Rondônia”. Muitas atividades serão prejudicadas com nossa indústria e comércio perdendo a competividade em preços. Desde frigoríficos, laticínios, metalúrgicas e até padarias foram atingidas. È coisa de louco!

Prestação de contas

Com prestação de contas dos seus 52 diretórios municipais e do diretório estadual, o Partido Progressista entrou em recesso, só voltando as atividades em meados de janeiro. O balanço da presidente regional  Jaqueline Cassol é de crescimento e ela mesmo conseguiu se eleger a uma cadeira á Câmara dos Deputados reforçando a bancada feminina rondoniense que terá também Silvia Cristina (PDT) e Mariana Carvalho (PSDB).

Saldo de Pereirinha

Falei em coluna da semana passada, em saldo positivo de Pereirinha (PSB) no governo tampão e a galera reclamou me atirando pedras. Entre as reclamações contra Daniel Pereira estão: 1- Ele segurava Pituca e seus  compadres no governo estadual enrascados com a justiça 2- Esta entregando ao sucessor a saúde num caos generalizado e a segurança pública em colapso, etc,etc. Fica o registro não estou aqui para encobrir, vistes?

Trem da Alegria

A Câmara dos Deputados vai encerrar esta legislatura com um trem da alegria – mais um de tantos – instalado naquela casa de leis para beneficiar os parlamentares que não se reelegeram. A medida, que permite contratações sem concurso, também servirá de refugio para os políticos prejudicados com a cláusula de barreiras. Não e podia imaginar nada diferente deste povo depois que flexibilizaram a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Via Direta

*** Como encerrei a coluna antes da diplomação dos eleitos e ainda havia dúvidas sobre o caso do parça de Baba e cia Jair Montes, fico devendo esta definição ***  Até agora o governo Bolsonaro não se posicionou quanto as alterações na Previdência *** O comportamento governamental será uma incógnita a partir de 1º de janeiro *** Em Porto Velho o setor imobiliário dá tímidos sinais de melhoras para 2019 *** Obras expressivas da iniciativa privada iniciadas no meio do ano também melhoraram o nível de emprego na construção civil. 

 

Fonte: Jornal Diário da Amazônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *