Eleições 2018 ELEIÇÕES 2018 – Os bocudos de plantão acharam que a campanha esta meio morna nesta arrancada inicial.

Eleições 2018

Os bocudos de plantão acharam que a campanha esta meio morna nesta arrancada inicial. Ocorre que nestes primeiros dias os candidatos ao Senado e ao governo estão gravando para os programas eleitorais para poderem então deslanchar as viagens pelo estado. Mas vêm aí os primeiros debates para esquentar a peleja. As torcidas já se preparam para voduzar os adversários.

É coisa de louco!

É espantoso o numero de comunicadores, pastores evangélicos e militares, como candidatos a cargos eletivos na campanha 2018. O resultado de tanta sede ao pote será uma baita pulverização de votos nestes segmentos ocorrendo em algumas regiões até nuances de canibalismo. As queixas a respeito têm aumentado, mas segue o quadro vigente.

Com estratégia

O desemprego e a forte crise econômica em Porto Velho produzem coisas jamais vistas. Até na região central já existem marmitex a R$ 5,00 e salgadinhos de R$ 1,00. Mendigos e noiados jogam na estratégia para o pão de cada dia: fazem marcação cerrada nas padarias logo cedinho e a tarde acorrem em supermercados e restaurantes pedindo comida. A miséria, como se constata, só aumenta.

Dois candidatos

O Palácio do Planalto vem com dois candidatos à presidência da Republica na temporada. Henrique Meireles (MDB) para disfarçar e Geraldo Alckmin (PSDB), pilotando o centrão, conglomerado de partidos de sustentação ao governo Michel Temer, considerado o grande patrocinador desta articulação. Aos poucos as máscaras vão caindo.

Políticos abonados

Os políticos ligados ao narcotráfico devem estar bem abonados na região com fartura de matéria prima nesta temporada, faturando alto e sem problemas financeiros para as eleições 2018. Sem recursos para vigiar nossas fronteiras do trafico de armas e de drogas, o País esta se transformando em refém dos cartéis paraguaios, bolivianos, peruanos e colombianos.

…………………………………

Via Direta

*** Rondônia tem uma das taxas mais elevadas de estupros na região Norte *** Uma situação com a presença constante de parentes próximos e da impunidade *** É tanto candidato a governador e a presidente nesta temporada que o eleitor não sabe nem os nomes dos ditos cujos *** Fica difícil até para fazer pesquisa de intenção de votos tamanho desconhecimento dos eleitores das nominatas ***Dos comunicadores em campanha na capital, Marcelo Bennesby (PDT) vai se destacando na temporada.   

_______________________

 

Como almoxarifado

Sendo a democracia é um valor universal, a Associação dos Acionistas Críticos da Alemanha advertiu suas transnacionais que operam no..

Sendo a democracia é um valor universal, a Associação dos Acionistas Críticos da Alemanha advertiu suas transnacionais que operam no Brasil sobre os grandes prejuízos que tiveram ao apoiar com seu silêncio a ditadura do 1º de abril de 1964.

A entidade, que compra ações de empresas para ter o direito, lá dentro, de servir como seu “Grilo Falante” crítico, identificou no silêncio a política de evitar polêmicas. Pilatos lavou as mãos em público, mas elas preferem o mínimo de exposição.

Uma das tarefas centrais dos CEOs das grandes empresas, não explicitadas em seus contratos, é evitar tudo que possa causar polêmica, saia-justa ou prejuízos para os acionistas. Faz sentido, portanto, a queixa do governador paraense, Simão Jatene, de que a mineradora Vale trata a Amazônia como seu “almoxarifado”.

Nesse caso, ao fugir da audiência pública da Comissão de Infraestrutura do Senado para tratar da renovação das concessões da Ferrovia Vitória-Minas e da Estrada de Ferro Carajás, o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, apenas atendeu ao interesse da companhia.Só que a Vale é importante demais para se omitir. Ela está ligada inseparavelmente ao nosso futuro.

 

Autor: Carlos Sperança/DIÁRIO DA AMAZÔNIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *