Bainha – O Menestrel do samba completa 80 anos com muito vigor

Era o dia 11 de agosto de 1938, e o soldado Pinheiro foi chamado as pressas à maternidade da unidade militar do Forte Príncipe da Beira pois sua mulher Maria Rodrigues da Silva – Dona Marieta havia dado entrada em trabalho de parto.

Pinheiro chegou ofegante à maternidade e foi preciso muita conversa para convencê-lo a ficar esperando o resultado do parto, na recepção. De repente a enfermeira (parteira) veio avisar que ele podia ir até o quarto ver seu filho que acabara de nascer. “Apenas com um problema”. Que problema minha senhora? “Ele é cambota”. Então vai ser jogador de futebol, disse seu Pinheiro.

Tirando esse pormenor, antes que o menino completasse um ano de idade, a família veio morar em Porto Velho. Quer dizer, saiu de Mato Grosso direto para a Amazônia. Vale lembrar que o Forte pertencia ao estado de Mato Grosso e Porto Velho ao estado do Amazonas, estou falando de 1938

Ainda garoto Bainha aprendeu a tocar pandeiro. “Lembro que um sanfoneiro me convidava pra tocar pandeiro e surdo em suas apresentações no Pimpão, Bar que ficava na 7 de Setembro nas proximidades da Marechal Deodoro onde funcionava uma casa de boemia, com uma estância (apartamentos) onde moravam muitas mulheres solteiras” lembra Bainha.

Daí pra frente aquele menino que o pai sonhava que seria jogador de futebol, por ter nascido com problemas nas pernas, se transformou num sambista de primeira linha.

Hoje Bainha festeja seus 80 anos de nascimento e todos nós sambistas da Amazônia, estamos felizes, pois o “velinho” continua dando aula de como se faz e se dança samba, por onde quer que passe. Tomara que Deus permita que o Bainha viva mais um bocado de anos, para formar mais sambistas.

FESTEJO

A festa em comemoração aos 80 anos do Mestre Waldemir Pinheiro da Silva – BAINHA, vai acontecer no próximo sábado dia 18, no Mercado Cultural, numa deferência toda especial da prefeitura de Porto Velho através da Funcultural. “A partir de então, por sugestão do prefeito Hildon Chaves, iremos sempre prestar homenagem a figuras que fazem pela cultura do nosso município. Bainha será o primeiro, até porque, ele é considerado por todos, Menestrel do Samba em Rondônia”, disse Ocampo Fernandes.

 

Fonte: Zé Katraca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *